Doutora Suzy

Micoses das Unhas

Vem chegando o verão e uma queixa freqüente nos consultórios dermatológicos é a de alteração das unhas, em especial dos pés. As pessoas temem ficar fora das piscinas ou não poder usar suas sandálias por medo de mostrar unhas dos pés com alterações.

Nem todas as alterações das unhas se devem a micoses como freqüentemente se pensa. Há alterações que podem representar apenas descolamentos por uso de sapatos inadequados ou manicuragem inadequada (descolamentos provocados por espátulas ou outros instrumentos que soltem as unhas da pele), há alterações por psoríase, tumores, etc. Nas mãos as causas são mais variadas ainda.

As alterações das unhas das mãos são comumente associadas aos maus hábitos profissionais: pacientes que em sua profissão manipulam água e produtos de limpeza continuamente sem proteção de luvas costumam desenvolver alterações na pele das mãos e nas unhas. As unhas ficam frágeis, quebradiças e muitas vezes surgem as chamadas paroníquias, vulgarmente conhecidas como unheiros. O uso de luvas de borracha para as atividades que envolvam o contato contínuo com a água (lavar louças, roupas, cortar legumes e limpá-los) e com os produtos de limpeza previnem o surgimento destas lesões. Para as pessoas que referem que o suor que se forma dentro das luvas fica muito desconfortável é orientado usar uma luva feita de material de algodão em baixo da luva de borracha (pode ser comprada pronta ou feita de camiseta velha de algodão).  As micoses das unhas das mãos são normalmente decorrentes do contato contínuo com água e produtos de limpeza. As medidas explicadas para evitar as fragilidades das unhas e os unheiros servem também para evitar a o surgimento destas micoses.

As unhas dos pés estão realmente mais propensas às micoses que as das mãos e apenas para poucos pacientes a causa é profissional, pelo contato dos pés com a água sem o uso de botas para proteção. Nota-se que há indivíduos com uma predisposição às micoses, tendo mais facilidade de contaminar-se com os fungos.

Os tratamentos para as micoses das unhas dos pés costumam ser mais prolongados que os das mãos e dependendo do agente causador podemos ter resistência aos agentes antifúngicos orais, havendo muitas vezes a necessidade de associação de medicações. Esta diferença de tempo decorre da maior velocidade de crescimento das unhas das mãos que dos pés.

O controle com exames para avaliar a funcionamento do fígado durante o tratamento é importante já que os medicamentos de uma maneira geral podem causar alteração neste órgão.  O uso de esmaltes medicamentosos de uso externo associados auxilia no tratamento, tornando-o um pouco mais breve.

Em caso de alterações de coloração ou da espessura das unhas procure avaliação dermatológica para diagnóstico adequado do problema e tratamento adequado.

A reprodução dos textos contidos neste site é livre desde que citada a fonte com link para o original.
©2011. Dra. Suzy Rabello. Todos os direitos reservados
dermatologia